Guia de Compras, Serviços, Informação e Lazer da Cidade de Teresópolis - RJ

 

Anuncie

Busca Cidade Turismo Inicial

Fale Conosco

                      

 

 

Nossos amigos precisam de carinho, atenção e cuidados.
Veja abaixo algumas dicas e informações para que nossos bichinhos vivam sempre felizes e saudáveis:

.:: Higiene & Saúde ::.

Tomando Remédio

> A maioria dos animais adora carne. Caso eles se recusem a engolir uma pílula, coloque-a em um pedaço de carne.

> Outra maneira de fazê-los tomar comprimidos é passar manteiga no remédio, tornando-o mais apetitoso.

> Use uma seringa sem agulha para dar a seu bichinho remédios líquidos.

Banho

> Passe condicionador nos pêlos de seu cão quando ficarem embaraçados.

> Se o seu animal estiver perdendo pêlo, ao dar banho nele não se esqueça de colocar uma proteção no ralo, para não entupir.


  .:: Doenças & Perigos ::.

Chocolate

A maior parte das pessoas adora chocolate e muitos dos cães também. No entanto o chocolate não deve ser dado a animais, pois contém um alcalóide chamado Teobromina, que pode ser venenoso em excesso. Os chocolates mais perigosos são os culinários e meio-amargos, enquanto o branco apresenta as menores taxas. Por isso, tome cuidado: Deixe seu cãozinho longe do chocolate!

Carrapato

> Pode ser transmitido pelo contato com outros animais, pelos sapatos das pessoas e através de caminhadas em áreas infestadas. Por isso, somente a inspeção cuidadosa e a escovagem diária do pêlo evitam a sua instalação.

> Se você notar algum carrapato fixado na pele do seu animal, remova-o imediatamente, colocando um pouco de álcool sobre ele, para que o seu aparelho bucal não fique preso à pele e provoque reações.

> Os carrapatos retirados devem ser mortos, de preferência, pelo fogo, para que os ovos não se espalhem. Se o carrapato estiver cheio e grande, indica que é uma fêmea, e com ovos para procriar e infestar todo o ambiente.

> Além de sugar o sangue e irritar a pele do animal, o carrapato transmite duas doenças graves: a anaplasmose e a erliquiose, que destroem as células do sangue, podendo levar à morte.

Pulga

> Quando se encontra uma única pulga no animal significa que, no ambiente, existe pelo menos, outras dez. Por resistir bem à lavagem dos lençóis e tapetes, aconselha-se a redução de tecidos no espaço em que vive o animal.

> Aspirar com freqüência o ambiente e escovar diariamente o pêlo dos animais são medidas higiênicas da maior importância.

> Este parasita só chega até à pele do animal para se alimentar, defecar e eliminar seus ovos. E quando saem dos ovos, as larvas se alimentam das fezes das pulgas adultas encontradas no pêlo. Vale lembrar que a pulga que infesta os cães é muito diferente daquela que ataca o homem.

Piolho

> Apesar de raro na pelagem dos animais, ele pode ocorrer se a vigilância e a higiene forem negligenciadas. O piolho e as lêndias podem ser removidos com banhos e escovagem.

> Existem dois tipos de piolhos: o sugador, que irrita a pele, e o picador, que corta o pêlo, provocando falhas que pioram a estética do animal.

Berne

> É a larva de uma mosca (Dermatobia hominis) que usa o tecido da pele do animal ou do homem para se desenvolver e depois cai no solo, onde se transforma em mosca. Esta larva deve ser eliminada, de preferência, ainda viva. Além do incômodo que causa, predispõe o animal a sérias contaminações bacterianas. Por isso, o local onde a larva (berne) se instala deve ser tratado como uma ferida.

> Para transportar sua larva, a Dermatobia hominis usa a mosca doméstica. Isso significa que a presença de moscas no ambiente é um fator de predisposição importante.